Confusão gerada pelo abandono da batina

Os padres modernos há muito tempo abandonaram a batina. Parecem ter vergonha de testemunhar publicamente que são sacerdotes de Cristo. Tanto eles buscam se parecer com os simples leigos, que muitos fiéis caem em confusão. Aí surgem coisas como esta pesquisa que fizeram para chegar ao meu blog:

falta-da-batina

O fato de leigos ensinarem e defenderem a Fé, quando o fazem em perfeito acordo com a doutrina de sempre, não é mal. Mas a omissão do clero, sim. Se os sacerdortes modernos não tivessem vergonha de usar batina, confusões como esta não ocorreriam.

Aproveitando o artigo, e já que me foi perguntado há pouco tempo, vou falar sobre outro assunto. O blog “Salve Regina”, que publicou, originalmente, o artigo sobre o comentário feito pelo Felipe Aquino de que era necessário silenciar os tradicionalistas, infelizmente, foi encerrado. Por isso, estou publicando aqui o comentário em que o Felipe Aquino demonstra sua postura tão contrária ao “diáologo ecumênico”, manifestando seu desejo de nos silenciar (o destaque é meu):

Essas palavras do Papa deixam muito claro, mais uma vez, a fundamental importância do Concílio Vaticano II para a Igreja. João Paulo II já tinha se referido a ele como “a primavera da Igreja”. Assim, é preciso calar de vez as vozes dissonantes e muito prejudiciais à Igreja que se levantam contra o Concílio. São maus católicos, em comunhão imperfeita com a Igreja, os que se prestam a esse triste serviço.
http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2008/10/29/%C2%ABestamos-em-divida-com-o-concilio-vaticano-ii%C2%BB/

Para Felipe Aquino, quem não aceita o pastoral e falível concílio não é bom católico. Justamente o concílio que convidou ao diálogo é apontado como dever primordial de obediência por parte do católico. Se alguém não aceita os erros do concílio, deve ser calado. Devemos dialogar com o “mundo” e com todas as religiões, cristãs ou não, mas o católico que não aceita as inovações do concílio deve ser calado. Esta é a lógica de quem o defende.

Um dos principais objetivos deste blog é justamente discutir o assunto. Por isso, apresentamos os argumentos contrários ao modernismo reinante no concílio. Se os seus defensores quisessem um tratamento sério da questão, deveriam demonstrar que nossos argumentos estão errados. Mas não é isso que fazem. Por mais que nós apresentemos argumentos, eles não valem de nada. Felipe Aquino não quer se dar ao trabalho de contra-argumentar, prefere calar a nossa boca. Bastante contraditório para quem defende o concílio que abriu as portas para o diálogo.

A Tradição está crescendo, cada vez mais pessoas tomam conhecimento do que se passou na Igreja nestas últimas décadas e começam a entender a crise atual. Mas, se não fosse o silêncio que tentam nos impor, a recuperação da Igreja seria muito mais rápida. É lamentável, mas enquanto houver quem queira silenciar os católicos tradicionais, somos obrigados a dispender tempo para fazer nossa defesa.

5 comentários em “Confusão gerada pelo abandono da batina

  1. Caro Marcio,

    Já estava com saudade de seus artigos apologéticos!

    Essa é só uma das confusões que esses Sacerdotes sem batina causam.

    Veja o legado que eles tem deixado:

    Uma diz que “Quando o Fábio de Melo erra a Igreja também erra…:http://praelio.blogspot.com/2009/09/quando-o-fabio-de-melo-erra-igreja.html

    A outra ataca a missa Tridentina e a tradição em defesa do Fábio de Melo:http://praelio.blogspot.com/2009/08/nunca-tinha-lido-tanta-asneira-de-uma.html

    E a pior de todas essa pra defender os erros do Fábio de Melo diz que nem Jesus foi perfeito:http://praelio.blogspot.com/2009/08/nunca-tinha-lido-tanta-asneira-de-uma_16.html

    É triste ver uma coisa dessas…

    Pax et bonvs.

  2. Márcio disse:

    Caro Jefferson,

    Obrigado pelo apoio. Espero ter mais tempo daqui para frente para voltar com os textos apologéticos. Trabalho não falta, como se pode perceber facilmente por esse e tantos outros legados.

    AMDG,

    Márcio

    Como os links não saíram, estou copiando abaixo os endereços:

    http://praelio.blogspot.com/2009/09/quando-o-fabio-de-melo-erra-igreja.html

    http://praelio.blogspot.com/2009/08/nunca-tinha-lido-tanta-asneira-de-uma.html

    http://praelio.blogspot.com/2009/08/nunca-tinha-lido-tanta-asneira-de-uma_16.html

  3. Portal União disse:

    Os padres que abandonaram a batina literalmente e moralmente pertecem a esta igrejola pós-Vaticano II.

    Sobre apologética abandonei esta pratica. Para que debater e combater os inimigos externos se esta igreja(sic) está transbordando de inimigos internos!!!!!!

    Se alguém não gostou do termo “igrejola” lanço um desafio:
    http://www.portaluniao.com/comment.php?comment.news.296

    Lisardo

  4. Renato Lima disse:

    Paciente Terminal Contra o Relativismo

    Este é um vídeo do episódio de um seriado onde um paciente terminal recusa o discurso relativista de uma pseudo-capelã que bem poderia simbolizar uma carismática da RCC ou outro seguidor do Concílio Vaticano II. Este concílio quer o relativismo religioso do ecumenismo, quer o diálogo da “verdade que encontraram ou julgam ter encontrado”(DH3). Essas doutrina pueril desaba na hora da morte. Lá o moribundo quererá a verdade edificada na rocha da Verdade, não no barro do subjetivismo.

    Acho que cabe a cada um de nós interpretar o que Deus quer, diz a mulher no vídeo. Começa por afirmar a sua incerteza com um vago “acho”, depois afirma a verdade de “cada um”. O católico deve afirmar a fé universal, comum a todos, clérigos e leigos. Ela não é indivudal, mas universal. O paciente diz que tudo o que tem ouvido é sobre a “nova era”. O concílio veio fazer o aggiornamento para agradar ao mundo, é um concílio dessa “nova era”, da consciência indivudal de cada um, da religião que pessoalmente julga ser verdadeira.

    “Sim, ele sabia. Absolutamente.”

    http://www.istoecatolico.com.br/index.php/Videos/Diversos/paciente_contra_o_relativismo.html

  5. Márcio disse:

    Caro Renato, Salve Maria!

    Não vou publicar o outro comentário porque não adianta perder tempo com quem se esforça para não entender as coisas mais simples. Os sofismos daquele sujeito são infantis, qualquer pessoa percebe o absurdo que ele está falando, mas ele continua falando. Vamos focar nossos esforços nos grandes, que realmente arrastam muitas pessoas para o erro.

    AMDG,

    Márcio

Os comentários estão desativados.