“O melhor site de apologética e ação católicas”

Buscando uma explicação para uma mudança de atitude aparentemente tão inexplicável por parte da Montfort,  que de grande promotora da Tradição passou a combater o maior baluarte desta mesma Tradição, utilizando-se mesmo de um texto de um padre diocesano bi-ritualista, afirmamos em artigos anteriores que foi o orgulho que os moveu a não rever o “veredicto” de seu fundador sobre os tribunais da FSSPX.

Apresentamos agora mais uma clara evidência do orgulho que movia estas pessoas. Podemos ler, no site da dita associação, como os seus projetos eram pautados pela  mais pura humildade cristã:

Vamos construir juntos o melhor site para apologética, formação, informação e ação católicas do Brasil! http://www.montfort.org.br/index.php/sobre-2/

Nada mal o que eles queriam, não é? Queriam apenas ser os melhores do Brasil.

Do Brasil? Mais adiante, após mencionarem que desejariam verter o site para o inglês, o espanhol, o italiano e o francês, eles já querem fazer de seu site o melhor da Web! Leiam o que eles declaram ser sua própria visão:

Fazer do site Montfort a melhor ferramenta disponível na web para apologética e ação católicas.

E como seria o material didático (vídeos e textos) por eles produzidos? Nas palavras que eles mesmos utilizaram, seria de altíssima qualidade

Daí se compreende um pouco o tamanho do ego deles. O que corrobora muito com o diagnóstico de orgulho que lhes foi imputado.

Não podemos deixar de nos lembrar, neste momento, das sábias palavras do Santo Evangelho: “Quem se humilha será exaltado e quem se exalta será humilhado” (Mt 23,12)

O caso não deixa de ser uma lição para todos nós. A cada um Deus concedeu dons, e seremos cobrados pelo que fizermos com eles. Quem recebeu mais talentos será cobrado mais do que aquele que recebeu menos talentos. Mas, por mais que trabalhemos, não devemos nunca perder de vista a humildade. A recompensa, pela misericórdia de Deus, receberemos no Céu. Não importa o quanto o nosso trabalho pareça pequeno e humilde. Importa sim a retidão de intenção com que o fazemos.