Dom Fellay vai se encontrar com o herege “cardeal” Müller

Depois de ter estourado, em 2012, todo o escândalo das tentativas de entregar a FSSPX nas mãos da Roma apóstata, houve um recuo estratégico das autoridades liberais da Neo-FSSPX a fim de acalmar os ânimos dos fiéis. Publicamente, Dom Fellay agradeceu por não ter feito um acordo, mas manteve a perseguição contra aqueles que haviam denunciado a traição acordista e também manteve ao seu lado, no comando da Neo-FSSPX, todos os liberais que trabalhavam para que o acordo acontecesse. Esta incoerência enorme e inegável já deveria ser suficiente para despertar o mais sonolento dos homens. É uma incoerência que grita nos ouvidos de todos e não há quem possa alegar desconhecimento.

Mas existe outra incoerência enorme: se fosse sincera a lamentação de Dom Fellay sobre o risco que correu, como se pode explicar que ele continue buscando encontros com os apóstatas da falsa igreja conciliar? Pois, além dos encontros que já aconteceram, sabemos que ele vai se encontrar agora com o herege “cardeal” Müller. Além de prefeito da Congregação para a Doutrina Perda da Fé, este homem é ninguém menos do que o presidente da comissão Ecclesia Dei, a nefasta criação de Wojtyla para capturar os tradicionalistas e levá-los para a Roma neopagã acorrentados pela falsa obediência, tal como fisicamente faziam com os escravos na Roma pagã da antiguidade.

Sinceramente, faz muito tempo que nada mais precisa ser dito, nada mais precisa acontecer. Todas as pessoas que tenham um mínimo de boa vontade já se deram conta dos novos rumos da Neo-FSSPX. Então, por que os padres em quem nós tanto confiávamos não fazem nada? E tantos leigos seguindo com eles para o matadouro? Será que o gado somente acreditará no perigo quando já estiver sendo exibido em um açougue conciliar?