“Bispo” persegue a Resistência em Ipatinga, Brasil

O “bispo” de Ipatinga/MG, Brasil, cidade onde se desenvolveu una missão da Resistência, escreveu uma carta pastoral, lida em todas as paróquias de sua diocese, na qual repete contra a missão os mesmos sofismas e falsas acusações que são proferidas contra os católicos desde o Vaticano II.

Em nome deste falso concílio, os católicos tradicionais são acusados de colocarem fora da Igreja. É uma grande mentira pois, na verdade, estão fora da Igreja os que conscientemente se submetem às heresias do Vaticano II e de seus sequazes, e não os que mantêm a Fé de sempre.

São Vicente de Lérins nos ensina que a regra para definir o que pertence à Fé católica é “somente e tudo o que foi crido sempre, por todos e em todas as partes”. A ideia de que devemos crer no que dizem hoje as supostas autoridades da falsa igreja conciliar, ainda que estejam em contradição com o que se acreditou no passado, não é católica, senão modernista. E o modernismo é uma heresia solenemente condenada por Sua Santidade o Papa São Pio X. Portanto, estão devidamente condenados pela Igreja Católica todos os que insistem em defender tais ideias evolucionistas do dogma.

Não ficamos intimidados pelas acusações da “igreja” conciliar porque sabemos que eles não têm a mínima legitimidade. Eles, os modernistas que creem na mutação da Fé, eles sim estão fora da Verdade eterna ensinada por Deus. Eles abandonaram a Fé para defender as novidades do latrocínio Vaticano II. Tudo o que podem fazer contra nós é propaganda vazia. A luta é desigual porque nossos meios de comunicação são muito mais modestos que os deles. Mas, se os fiéis se dessem o trabalho de estudar a doutrina católica, não lhes restaria nenhuma dúvida de que a verdade está na Tradição, e não na “igreja” conciliar.