Blasfêmias contra Cristo cometidas no último domingo

O mundo moderno apostatou. Isto já se tornou bastante claro. Mas não somente abandonou a Fé, como também a combate com ferocidade. Cristãos são perseguidos com violência descomunal e, onde ainda não há violência física, há violência moral. Os Estados outrora católicos foram induzidos a deixar se serem confessionais pelos traidores que usurpam a Santa Sé há décadas. E o chamado “estado laico” faz vistas grossas tanto ao vilipêndio da Fé cristã em suas terras quanto aos mártires que são assassinados principalmente nas terras da África e da Ásia.

E vilipêndio à Fé foi o que aconteceu, mais uma vez, no último domingo dia 7 de junho, durante a chamada parada gay:

http://farfalline.blogspot.com.br/2015/06/editorial-cristanofobia-na-blasfema.html

Não é a primeira vez que isto ocorre. Em outra ocasião fizeram coisas ainda piores que a modéstia nos impede de escrever aqui e muito menos de publicar as imagens.

Uma grande verdade que foi dita: a nossa indignação não é porque os ofensores eram homossexuais. Não é a pessoa do ofensor que nos interessa, e sim a do Ofendido, ou seja Cristo e os cristãos. Devemos boicotar qualquer patrocinador da Cristianofobia independente de opção sexual, independente de serem ilustres desconhecidos em busca de fama ou artistas mundialmente famosos, independente de serem meros aventureiros ou empresas gigantes.

Casos como o do “Porta dos Fundos” que zombou Cristo em pleno Natal, o do jornaleco francês de quinta categoria chamado Charlie que fazia caricaturas obscenas de Deus e dos Santos, ou tantos outros deveriam causar profunda indignação em qualquer ser humano. A baixaria é tão grande que mesmo um não cristão deve se sentir ofendido com a podridão e imoralidade. Estes casos são mais do que um ateísmo militante, são de ódio explícito contra Deus. E, no entanto, há uma multidão que não somente não fica indignada como até apóia estes blasfemos.

Estes casos são tão descaradamente criminosos que não tem nem muito o que argumentar, pois isto seria tentar provar o óbvio. Mas em outro artigo trataremos mais demoradamente sobre a Cristianofobia no mundo atual a fim de alertar os que ainda não se deram conta do tamanho da perversidade dos que odeiam Cristo e Sua Igreja.