Cinco anos do falecimento do Padre Hélio Buck

Ontem completaram-se cinco anos de falecimento do Padre Hélio Buck, o qual eu tive a honra de conhecer, ainda que por pouco tempo. Grande sacerdote, o único, aliás, que teve a coragem de ser fiel ao heroico bispo Dom Antônio de Castro Mayer. E ainda há quem não enxergue o mal dos acordos com a roma modernista: de todos os padres tradicionalistas de Campos, autores de obras tão boas como as “62 razões para não assistir a missa nova” ou “Quer agrade, quer desagrade”, somente um foi fiel à verdade conhecida. Todos os outros fingiram se esquecer de tudo o que falaram no passado. Nunca refutaram seus antigos escritos, mas tão somente passaram a repetir o mantra da obediência. A mesma obediência cega que eles, com ótimos argumentos, sabiam demonstrar ser contrária à doutrina católica. Por isso devemos valorizar os bons sacerdotes que são fiéis ao ensinamento da Igreja mesmo sob a perseguição modernista. Descanse em paz, Padre Hélio, porque o senhor fez por merecer.