As blasfêmias de Maria Valtorta e uma séria advertência

Dentre os muitos absurdos ditos por Dom Williamson, um deles se destaca pela grave afronta aos princípios mais básicos da moral: a recomendação de leitura dos escritos de Maria Valtorta. Só de saber que suas obras foram condenadas pelo Santo Ofício, isto já deixaria qualquer bom católico, por mais simples que seja, bem longe delas. Dom Williamson, ou qualquer outro católico, ainda que leigo, tinha a obrigação de advertir as pessoas para não lerem tais escritos condenados pela Verdadeira Igreja. Mas o bispo fez o contrário: recomendou a leitura, todas as noites, para as crianças.

Se alguém ainda não se convenceu do quanto Dom Williamson está desviado do bom caminho, podem tirar as últimas dúvidas lendo os seguintes trechos da obra de Maria Valtorta. Deixo bem advertido que o conteúdo dos escritos dessa falsa vidente é erótico e blasfemo, e ofende qualquer um que não tenha perdido todo senso de moralidade. Mas é necessário indicá-lo aqui para que se veja a que cúmulo chegou aquele que alguns chamam de “nosso bispo”:

“Poema do Homem-Deus”, de Maria Valtorta………. (E de Dom Williamson!)

http://stdominic3order.blogspot.com/2016/04/poema-do-homem-deus-de-maria-valtorta-e.html

São simplesmente asquerosos esses escritos. Não existe nenhuma justificativa para recomendar uma abominação como essa. Não tenho nem palavras para descrever essa porcaria. E Valtorta é apenas um dos vários erros de Dom Williamson. Mas é muito esclarecedor, porque não depende de nenhum conhecimento teológico. O mais simples dos leigos entende a imoralidade de se recomendar uma obra desse nível. Alguém consegue se imaginar lendo aquelas obscenidades para seus filhos?

Diante de tantos e tão graves erros, tenho a obrigação de trazer aos leitores deste blog a grave advertência sobre os riscos de se continuar seguindo esse bispo e todos os que o apoiam.

Sim, é verdade que eu também apoiei Dom Williamson quando, no ano de 2012, ele denunciou a traição de Dom Fellay. Todos os católicos tradicionais que fizeram qualquer espécie de acordo com a roma conciliar foram absorvidos pelo modernismo. Todos, sem nenhuma exceção. Mesmo assim, Dom Fellay e seus seguidores queriam receber o reconhecimento da roma conciliar. A FSSPX não era o único bastião da Fé resistindo à falsa igreja conciliar, mas era o maior dos institutos religiosos que não haviam apostatado. Por isso, eu me engajei neste combate para tentar evitar que tantas almas caíssem nas mãos dos hereges da “igreja” conciliar. Infelizmente, Dom Fellay e seus auxiliares liberais, que ainda hoje continuam nos postos de comando da FSSPX, estão conseguindo seus intentos.

Independente do que se passa na neo-FSSPX, o fato é que Dom Williamson não correspondeu, de forma alguma, às nossas expectativas. Tendo ele tomado a frente no combate para livrar a FSSPX de cair nas mãos de Bergoglio (ou de Ratzinger, o que dá no mesmo), esperávamos dele uma postura de rejeição dos erros modernos e de nenhuma concessão aos inimigos da Igreja. O que vimos, no entanto, foi uma série de concessões a esses inimigos, ao rito bastardo, esforços para minimizar os males da anti-igreja, elogios a acatólicos, escândalos funestos, etc. E note-se bem, jamais houve qualquer retratação por parte de Dom Williamson, o que demonstra sua contumácia no erro.

Igualmente da parte dos que defendem o bispo, não conseguimos observar nenhuma atitude sensata. Os erros são claríssimos, mas sempre há tergiversação. Para o caso de Valtorta, por exemplo, como poderia alguém justificar a atitude do bispo ao recomendar para crianças uma obra obscena e blasfema? Não existe a mínima chance de fazê-lo. Mas os defensores do bispo jamais admitem os erros dele e não permitem que lhe façam a menor crítica, por mais justa que seja. Algumas dessas pessoas eu realmente tinha por amigos. Outros preferem fechar os olhos. Por exemplo, desde que comecei a discordar do bispo, umas dez pessoas deixaram de seguir o blog.

Dessa forma, e tendo em vista que um dia eu já apoiei Dom Williamson, cumpro aqui a minha obrigação de esclarecer a todos os leitores que não mais apoio esse bispo e nenhum dos que estão do lado dele. Não quero tomar parte em seus escândalos, e não quero que nenhum daqueles que um dia me viram defender Dom Williamson acabe caindo nos erros que ele propaga. Esse esclarecimento aos leitores é necessário para minha consciência a fim de que não seja por minha culpa que alguém venha a confiar em um grupo de pessoas que já demonstraram ter mais apreço ao chefe do referido grupo do que à Fé e à moral católicas.