Evolucionismo: muitas suposições, nenhum fato

A teoria da evolução das espécies é apresentada,  através de uma imensa máquina de propaganda, como fato cientificamente comprovado. Essa verdadeira lavagem cerebral é o único motivo pelo qual tantas pessoas ainda acreditam no evolucionismo.

No entanto, longe de haver fatos que o comprovem, o evolucionismo se baseia em  suposições e interpretações. Vejamos um comentário de sobre a falta de fatos comprovadores da teoria da evolução (os grifos são meus):

Continuar lendo

Anúncios

Chegou a hora de dizer adeus a Darwin

Acabei de encontrar um excelente site anti-evolucionista:

Desafiando a Nomenklatura científica

O autor é um ex-evolucionista que abandonou a teoria evolutiva baseando-se na própria Ciência, que exige o abandono de teorias que não são suportadas pelos fatos. Com muita coragem, e usando argumentos científicos, o autor se levanta contra a verdadeira “ditadura”, existente no meio científico e midiático, que tenta empurrar o Darwinismo como se fosse verdade comprovada pela ciência, utilizando-se de uma imensa máquina propagandística.

Continuar lendo

A impossibilidade da evolução

A teoria da evolução das espécies se baseia no princípio da sobrevivência do mais forte. Dentro de uma determinada espécie existem indivíduos mais adaptados para sobreviver do que outros. Esses mais adaptados ao meio sobreviveriam e transmitiriam seus caracteres para seus descendentes, enquanto que os inaptos seriam eliminados e não deixariam descendentes. Dessa forma, haveria como que uma seleção natural que eliminaria os caracteres indesejáveis das espécies, restando apenas aqueles mais adaptados à sobrevivência. O acúmulo de mutações genéticas causaria, ao longo de milhões de anos, o aparecimento de novos caracteres, que seriam sempre purificados pela seleção natural. Dessa forma, ao longo de milhões de anos, surgiriam novas espécies sempre mais adaptadas ao meio do que aquela original.

Continuar lendo

A cegueira do evolucionismo

O evolucionismo se tornou um dos maiores “dogmas” do ateísmo moderno. Não podendo contestar os argumentos criacionistas, os evolucionistas se concentram em uma propaganda intensa das suas idéias, realizando uma verdadeira lavagem cerebral. Desde os bancos escolares, as crianças são ensinadas a repetir que o homem veio do macaco. A mídia também repete a mesma estória “ad nauseam“, formando um verdadeiro exército que sabe apenas repetir as mesmas fórmulas prontas que ouviram tantas vezes antes. E como se não bastasse a propaganda, sempre que se tenta debater o assunto com um evolucionista, este logo apela para a crítica do criacionismo como sendo “idéias religiosas ultrapassadas” e que “não estão de acordo com a ciência”. No entanto, a verdade passa bem longe disso, pois o evolucionismo também é uma crença religiosa, porém pagã, e a ciência está do lado do criacionismo.

Continuar lendo