A um ano do centenário de Fátima

A humanidade muitas vezes não aprende com os erros do passado. Em 1689, Santa Margarida Maria Alacoque transmitia a mensagem recebida de Cristo para que o rei da França consagrasse o reino ao Seu Sacratíssimo Coração. O pedido não foi atendido e, um século depois, a maldita revolução francesa abalava a França e o mundo com o terror.

E, eis que estamos hoje a exatamente um ano do centenário das aparições da Santíssima Virgem em Fátima. Quase cem anos de desprezo às mensagens do Céu. E não somente desprezo, mas também mentiras como as dos “cardeais” Bertone e Ratzinger, e perseguições, como o silenciamento do padre Alonso, maior estudioso das aparições. E ainda traições daqueles que conhecem bem a perversidade dos hereges que hoje se apresentam como se fossem a hierarquia da Igreja Católica, mas, em vez de denunciá-los, reconhecem sua “autoridade”, querem estar em comunhão com eles e minimizam o mal que eles fazem à Igreja.

Livrai-nos, Senhor, dos maus pastores e dai-nos força para permanecermos fiéis nos momentos de provação. Que não seja por nossa culpa que os pedidos da Santíssima Virgem sejam ignorados.

Noventa e oito anos das aparições de Nossa Senhora em Fátima

Hoje se completam noventa e oito anos do início das aparições de Nossa Senhora em Fátima. Estamos, pois, muito próximos do centenário destes eventos tão marcantes. Quase cem anos! E a maldade humana ainda tenta ignorar a mensagem da Santa Mãe de Deus. Uma montanha de mentiras, de contradições, de golpes sujos, isto é o que as “autoridades” vaticanas nos oferecem. A farsa dos querem silenciar a mensagem de Fátima já foi desvendada há muito tempo. Acredito que o livro que melhor exponha esta traição à Igreja seja “O derradeiro combate do demônio”. Quem ainda não o leu, deve lê-lo para não cair na armadilha dos que querem nos fazer crer que Fátima pertence ao passado. A verdade é que a consagração da Rússia não foi realizada como Nossa Senhora pediu, o terceiro segredo não nos foi revelado, as advertências não foram ouvidas. Por quê? Porque quem está ocupando Roma já não tem mais Fé. Aos que não se informaram a respeito, insisto e continuarei a insistir: Fátima tem um papel da mais alta importância na história da Igreja, na solução da crise de Fé pela qual passamos e também nos eventos futuros. A mensagem de Fátima precisa ser conhecida!

O caminho da paz não passa por Assis, passa por Fátima

Infelizmente, Assis III teve início e está se desenrolando como já temíamos que fosse, um desastre ecumênico. Provalmente não ocorrerão as aberrações e profanações que se deram sob a complacência do “beato” João Paulo II. Mas o clima de indiferentismo não deixa de estar presente.

Este encontro é um enorme equívoco. De onde o Vaticano tirou a absurda idéia de que a reunião das religiões seria o caminho para a paz? Por acaso alguém se lembra qual foi a promessa de paz feita por Deus através da Santíssima Virgem Maria em Fátima?

Continuar lendo